Festival Serra da Estrela 2007 3º e 4º Dia

Mais vale tarde que nunca, já diz o velho ditado…

Já passaram dois dias do término do Festival Serra da Estrela e eu ainda não tinha passado por aqui para informar como foi o terceiro e o quarto dia de concertos, pela bela freguesia de Valhelhas.

Tudo começou com Dazkarieh, Rock, Folk, Experimental, ou aquilo que muitos rotulam como “world music”, uma fusão de variadíssimas sonoridades, que resultam na perfeição, conseguindo criar uma ligação perfeita, com o publico que os assistia. Apenas desiludiram por passarem tão pouco tempo em cima do palco. O público queria mais e os Dazkarieh mereciam mais umas músicas em cima do palco. A voz da vocalista Joana Negrão é simplesmente divinal para um princípio de noite, que prometia ritmos quentes…

Souls of  Fire, vieram para apresentar o seu primeiro cd “Comunicar”, apresentaram sons quentes, comunicaram com o publico, criaram empatia enorme com aqueles que assistiam. Arrancaram sorrisos de felicidade e alegria de quase toda a gente. Publico satisfeito, banda satisfeita o que significa uma onda crescente de animação quer de um lado quer do outro. Foi um belo aquecimento para um dos mais aguardados momentos da noite. Estão de parabéns os rapazes do Porto.

Alguns minutos depois começa o concerto, pelo qual eu estava a espera. Gostava de ver como o badalado “Oba Train” resultava ao vivo. Terrakota, no seu expoente máximo, resultado de uma junção de culturas. A mestiçagem que existe neste grupo, do qual Júnior foi o porta-voz de uma entrevista durante a tarde, que O Suplente realizou e a qual vai ficar disponível para darem uma escuta muito brevemente. Falou-se de imensa coisa, entre elas mais uma vez a beleza do festival. É completamente impossível ficar indiferente a beleza natural que nos rodeou durante os 4 dias de festival. O próprio Júnior elogiou toda a organização por nos privilegiarem com o magnifico spot, mas aconselhou a que o preservássemos. Voltando ao concerto, os ritmos quentes com origens tropicais aqueceram a noite fria que assolava os festivaleiros. Os Terrakota encheram o palco por completo, posso até dizer que faltou espaço para mais. Instrumentos diversos, línguas diversas e danças que deixaram o publico em êxtase, são alguns dos pontos que fazem dos Terrakota uma das actuações mais aclamadas pelo público.

O palco principal encerrou com os Primitive Reason, que nos brindaram com um concerto alternativo, com sonoridades que foram do rock ao ambient/chillout, que nos levaram a momentos quase de transe profundo, a passagem pelo último álbum foi um ponto obrigatório. O único ponto negativo que encontrei, foi a monopolização do concerto por parte do vocalista Guillermo de LLera, que puxou para si todas as atenções, tudo se centrava nele, deixando um a banda num segundo plano, nada merecido. Esta monopolização só sortiu efeito positivo quando Guillermo de LLera pegou num didjiridoo e sozinho conseguiu enfeitiçar todos os presentes, com uma assombrosa respiração continua. Não foi o concerto electrizante que eu estava a espera, mas foi surpreendente pela positiva, diferente e cheio de boas vibrações. O culminar de uma noite quase perfeita, não fosse o frio que se fazia sentir.

O Dj Nuno Cacho e a Dj feminina Rita Mendes continuaram a noite no palco secundário.

A experiencia que tive do quarto e ultimo dia deste festival pode resumir-se a um dia com condições climatéricas menos agradáveis, o que fez dispersar muita gente. A chuva que caiu durante cerca de um minuto assustou muita gente, enfraquecendo a noite da despedida.  The Fury, começaram quando a grande maioria dos sobreviventes ainda desfrutava de uma última refeição, tardia mas que ia fazer aguenta-los uma dura noite de despedida, seguiram-se os Sequela, banda da Covilhã que teve aqui uma bela hipótese de mostrar os seus onze temas originais. Punk/Rock assumido, fez-me bater o pé e relembrar os tempos de Censurados e mais actualmente Tara Perdida. Não fosse a distorção esquisita que uma guitarra fazia de vez em quando e tinha sido um concerto de despedida perfeito. Pena não haver mais animação, mas o cansaço era muito e o corpo já não respondia a todas as vontades.

SimonDj continuou pela noite dentro, mas eu já não estava presente. Havia outros compromissos que era necessário cumprir e que me roubaram assim a ultima noite de divertimento.

Para o ano há mais😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: