Festival Serra da Estrela 2007 2º Dia

Mais um dia mais uma aventura pelos lados de Valhelhas. Ontem foi dia de actuarem por cá no palco principal, bandas como The Zippers, Mundo Cão, Balla, e Expensive Soul & Jaguar Band.

 

Perdida a visualização da actuação dos estreantes The Zippers, vencedores do Festival da Guarda de Bandas de Garagem, podemos ouvir na zona de campismo a actuação, um som bastante limpo para uma banda de garagem, conseguiram despertar a curiosidade de muito dos campistas, que se dirigiam para o recinto onde tudo acontece.

 

Mundo Cão, a segunda banda a estar em palco foi para mim a surpresa da noite a nível de som, sou mais um dos que os compara agora a Ornatos Violeta, uma foz muito poderosa e muito colocada a do Pedro Laginha, se ainda alguém se questiona se o sucesso deles não se deve muito a terem uma cara conhecida da televisão na voz, é pensamento completamente errado. Voz poderosa e arrebatadora, complementada com excelentes músicos, oriundos dos Mão Morta, de onde provem também as letras. Quem não sabe foi o Adolfo Luxúria Canibal quem escreveu todas as letras do colectivo Mundo Cão. O Suplente em conjunto com um amigo, teve a oportunidade de fazer algumas questões á banda. Explicaram-nos como surgiu a presença do Adolfo Luxúria Canibal, que podemos resumir mais ou menos da seguinte maneira:”Estou Adolfo, olha gostávamos que participasses como letrista no projecto Mundo Cão, aceitas?… Óptimo, contamos contigo!”. Pedro Laginha explicou ainda como é fácil coordenar televisão e musica “tudo uma questão de agenda”. Ainda bem que é fácil para o Pedro coordenar música com televisão, nós gostamos e aconselhamos vivamente a toda a gente, se tiver oportunidade oiçam e vejam com atenção. É apenas de referir que Mundo Cão adoraram o publico para quem actuaram, um publico entusiasmado e bastante animado.

 

Os segundos da noite foram os Balla, nome pelo qual Armando Teixeira se apresenta em palco em juntamente com a sua restante banda. Foi um concerto agradável e que me abriu a curiosidade de o ouvir tocar numa sala fechada, uma espécie de Coliseu seria o ideal, tenho a certeza que ai as musicas deste senhor da música nacional tomariam uma potencia enorme. Também não deixamos fugir a hipótese de fazer algumas questões, podemos por enquanto adiantar que vem reforçar a opinião dada pel’ O Suplente ontem, este local é simplesmente magnifico e com potencialidades enormes. Pelos vistos não somos os únicos a achar isto.

 

Expensive Soul encerraram no dia de ontem as hostes do palco principal, com o concerto que mais entusiasmou os festivaleiros, o corpo e a mente de todos foi completamente reanimada, depois de mais um dia na praia fluvial. Portanto animação dentro e fora de palco, para todos os gostos e idades. Hits que toda a gente conhece e que nos fazem mover o corpo ao som do hiphop nacional.

 

Para acabar a noite tivemos Nuno Cacho o dj residente e Frank Maurel, que animou os resistentes até altas horas da madrugada. Fica o registo de muita animação até bem de madrugada.

 

Por hoje é tudo amanha há mais.

 

Nota: Este texto foi redigido durante o festival, mas a faltou a bateria ao portátil e chapéu :s ficou guardado aqui pelo disco rígido do meu querido Asus. Desculpem a demora

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: